Moradores de Siririzinho reclamam sobre descaso com o povoado

Você está aqui

Representantes do povoado Sirizinho, em Rosário do Catete, foram à tribuna da Câmara Municipal, na sessão dessa segunda-feira (09), reclamar da falta de atenção que a Prefeitura vem tendo com a localidade. Os moradores querem que o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) seja melhor utilizado e que os gestores públicos resolvam o problema do transporte local e abastecimento d’água, que há bastante tempo tem trazidos grandes transtornos aos moradores.

Fundador da Quadrilha Xote Baião, o senhor José Rocha diz que solicitou, através de ofício, a utilização do prédio do CRAS para os ensaios do grupo, mas que teve o pedido negado. Ele afirma que o descaso se deve a perseguição política e que o espaço já foi utilizado diversas vezes com o mesmo intuito. A preocupação maior do cidadão recai sobre os jovens da comunidade, que vivem ociosos e sem atividades produtivas para fazer.

Outro problema que não parece ter fim e vem incomodando a população local é a falta d’água. Os moradores continuam a reclamar sobre a precariedade do abastecimento, que muitas vezes é feito por carro pipa. “É inadmissível que as famílias da comunidade tenham que comprar água todos os dias, já que muitas não têm dinheiro nem para comprar o alimento”, reclama, lembrando que o transporte local também é outro grande contratempo enfrentado na localidade.   

A presidente da Casa, Amélia Resende (PSC), disse que ouviu atenta as reclamações do morador e afirma ser lamentável essa posição da Prefeitura com os moradores do povoado. Lembrou que Câmara está trabalhando para mudar esta situação não somente na localidade e que o poder executivo não tem feito o seu papel, deixando a população à mercê da sorte. “O prefeito precisa arregaçar as mangas e trabalhar. Ele deu um prazo até o dia 30 de outubro para resolver esse problema. Agora só nos resta aguardar e ver se, realmente, cumprirá com o prometido”, destaca a vereadora.

Mais descaso

Amélia Resende também criticou o abandono em que se encontram diversas ruas e que durante as comemorações da Festa da Padroeira pôde perceber a falta de iluminação e buraqueira de diversos trechos espelhados na cidade. O afastamento de 20 pessoas do Programa de Inclusão Social (PIS) foi outro ponto levantado pela parlamentar, que também classificou como inaceitável, já que todas as citadas estão dentro dos critérios estabelecidos pelas regras do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).


Exportar: CSV | JSON

CÂMARA MUNICIPAL DE ROSÁRIO DO CATETE
Praça Dr. Edélzio Vieira de Melo,443 - - Rosário do Catete/SE - (79)3274-1214 -